DESCULPE O TRANSTORNO

Outubro não é o mês do sexo frágil

Não posso deixar passar batido esse assunto que na última semana tem sido muito falado ao meu redor, não digo na intewebs, mas no meu circulo de amizades e camaradagens. Todo mundo sabe que outubro, dentre muitas outras coisas boas também é o mês cor de rosa, até aí não é novidade pra ninguém e para dizer a real, eu gosto disso, gosto de ter um mês dedicado a saúde da mulher (SQN!) e que ele seja todo cor de rosa, gosto de ver homens vestindo essa cor em forma de solidariedade e apoio a causa. Mas mesmo com todo esse sentimento bacana não posso deixar de notar alguns comentários sexistas que rolaram até o momento e claro, não posso deixar de dar os meus pitacos também.

Um amigo brincou: Esse mês é do Sexo Frágil!

<Pausa dramática para o processamento e digestão dessa afirmação horrenta>

O que eu pensei: Que idiota, banca o machão mas na hora do aperto corre pra mamãe.

O que eu disse: Ah, você tá se referindo ao mês da luta contra o câncer de mama ou é o seu aniversário esse mês?

<Pausa dramática de dois tempos para ele entender e pensar em alguma resposta plausível para o meu contra ataque>

O que ele respondeu: Como você preferir, afinal, as duas afirmações são verdade.

Não sou uma pessoa que você pode considerar feminista, mas tem certas situações que é inegável, preciso defender a honra de usar calcinha. Mesmo que considerando a minha geração um grupo de pessoas com a cabeça mais “aberta” ainda existe pensamentos de que mulher é sexo frágil. E vou te dizer uma coisa: Esse pensamento não parte só dos homens não, muito pelo contrário, quem emprega muitas vezes o pensando de que a mulher é o sexo frágil, muitas vezes é a própria mulher. -Veja bem, esse post não é pra defender homens ou mulheres, trata-se apenas de um pensamento espontâneo que tenho sobre essa guerra entre os sexos onde ambos são iguais pra mim

Quando digo que o pensando de sexo frágil muitas vezes é implantado em nossas mentes por nós mesmas –Mulheres- refiro-me a um conjunto de fatores, muito deles culturais que estão enraizados em nossa sociedade lá nos primórdio da existência. Vai dizer que você nunca foi tratada de forma diferente por ser mulher, garota ou menina. Vou citar dois exemplos que vivi na minha infância e adolescência, que só ocorreram porque me julgaram sexo frágil e o pior de tudo: Não foi ninguém de fora! Foi a minha própria família.

  1. Meus pais –minha mãe, soberana- não deixava que eu brincasse com os meninos na rua de futebol ou pega-pega, porque eram brincadeiras de meninos e eu, era uma mocinha e mocinhas não pode brincar com os meninos porque são frágeis(!)mesmo sendo da mesma idade.
  2. Quando escolhi fazer faculdade de TI, meu deus, como foi dificil para os meus pais compreenderem a aceitarem que eu, euzinha, iria estudar e trabalhar em meio de um monte de machos! Filha, tem certeza? Isso não é coisa de homem? Ah, porque você não escolhe outra coisa, que tal ortodontia?

Viram só? Muitas vezes o estereotipo de que a mulher é sexo frágil começa em casa e não na rua! São essas coisas simples e muitas vezes imperceptível que alimentam e afomentam o pensamento que mulher tem que ser inferior. oremos por essas cabeças de alfinetes!

E como se não bastasse sermos bombardeadas com essas atitudes sutis em casa, ainda tem a mídia que adora sambar na nossa cara e mostrar o quão frágil e manipulável pode ser uma mulher. Teve uns instantes da minha adolescência, na qual eu comprava revistas teens femininas como por exemplo a Atrevida e Capricho, nem cheguei a ser leitora por um ano e logo abandonei o barco pois estava farta de ler sobre: Como agarrar o gato! Teste de como ser atraente, dicas de como ser a namorada perfeita e claro, como deixar o boy magya se sentindo o tal com o teste do pote –Aí, não consigo abrir essa geleia, abre pra mim?-. São tantas baboseiras impressas nessas revistas que fica difícil mesmo passar ilesa e como se não bastasse, são revistas editadas por mulheres! Isso mesmo! Mulheres!

Nunca vi uma revista para garotos com testes e dicas de como ser um cavaleiro e conquistar a princesa dos sonhos. NUNCA! Então meninas: Não caiam nessa! Nós somos muito mais do que isso que a sociedade machista pinta por aí, somos tão capazes quanto e não estou dizendo que você deve parar de correr atrás do seu Boy Magya, mas por favor, vamos nos valorizar, nós merecemos, você merece!

Recado pras migas da redação dessas revistas: Pensem bem no que estão publicando! Não adianta elaborar esses tipos de matérias e testes e depois ficar dando uma de feminista e lutando contra algo que vocês mesmas  ajudaram e motivaram a construir, é contraditório e soa como hipocrisia e nem me venha com campanha para a igualdade salarial entre os sexos, nem venha, por isso pensem bem!

Agora que já deixei um recado pras amigas, vamos para o outro lado da faixa! Qual a mulher nesse brasil (“b” minusculo porque ele ainda não tá merecendo o maiúsculo, por motivos que não cabem nesse post) que nunca foi alvo de piadinhas do tipo? Lugar de mulher é no fogão! Mulher no volante perigo constante! entre outras…. Tadinha das loiras, são as que mais sofrem….

Não vou chamar de homens porque logo percebemos que essas atitudes são de muleques e não de homens de verdade! Recado pros ocês: Antes de tratar uma mulher assim, pensem que se não fosse por uma, você nem existiria! lembre-se que pra cada passo e cada dor na sua infância, havia uma mulher alí pra te confortar! Quando você estava com fome, lá estava ela também: Sua Mãe! E lembre-se que por mais que -talvez- você não goste de admitir, se não houvesse uma mulher na sua vida você nem existiria e que provavelmente você ainda depende de alguma mulher na sua vida, seja honesto e admita isso, mesmo que seja pra você.

Ah, antes que eu esqueça… Outubro é o mês da luta contra o câncer de mama que afeta ambos os sexos, mesmo que essa doença horrível afete mais mulheres que homens. Então não trata-se apenas do mês do sexo frágil mas sim do corpo humano frágil de ambos!

Beijos e pensem nisso!

Aproveita e leia também...

3 Comments

  • Reply
    Robert de lucca
    segunda-feira - 8 de fevereiro de 2016 at 18:46

    Parabéns pelo artigo, apesar de ser um artigo de 2011 é muito bom e bem esclarecedor e digo mais o que é bom não envelhece mesmo que envelheça vai continuar bom, com relação ao sexo frágil, muitas vezes é a própria mulher que se considera frágil..

  • Reply
    Victor Varela
    quarta-feira - 24 de fevereiro de 2016 at 05:01

    Excelente Artigo! A fragilidade é muito relativa, Quem seria mais frágil? um homem bem alto e forte lutador de artes marciais ou uma mulher pequena bem magrinha porem Armada?

  • Reply
    Thayara
    terça-feira - 29 de março de 2016 at 18:12

    Ótimo artigo!
    Adorei!

    Vou acompanhar mais seu site…
    Beijos!

  • Leave a Reply

    CommentLuv badge